Morar em casa ou apERtamento??? Como alugar um imóvel sem dor de cabeça

Postado por:
VANESSA FREITAS
Em: quinta-feira, fevereiro 02, 2017 | 0 Comments
| 0

Morar em casa ou apERtamento??? Como alugar um imóvel sem dor de cabeça
Sim este título resume bem o que estou sentindo a exatamente 7 anos hahahaha
Quando nos mudamos para este apartamento já havia um ano que morávamos de aluguel em uma casa enorme com 3 quartos, sala, cozinha, garagem para dois carros e um banheiro enorme.

Acontece que a casa alugada e na época depois de ter uma filha nos achamos que o melhor mesmo era ter algo nosso e para ter esse algo nosso o banco liberava(financiamento) apenas o valor para um apartamento. Até Ana Luiza completar 1 ano as coisas estavam uma maravilha, depois disso vimos que era bem difícil criar uma criança num espaço tão pequeno.

E se com uma criança era difícil imagina com duas, depois que Arthur chegou eu comecei a ficar mais frustada com falta de espaço, vizinhos difíceis, entre outros problemas. A pouco tempo a situação ficou insustentável e a gente pensou e pensou numa solução e resolvemos que vamos alugar uma casa grande com quintal, 3 quartos, banheirão pra criançada(sonho,rsrsrs) e vamos manter o apartamento porque não sabemos o dia de amanhã, vai que o dinheiro fica curto ou pode acontecer(deuzolivre) uma demissão. Vejam algumas dicas para alugar imóvel sem complicações:

Dicas para alugar um imóvel sem dor de cabeça:

Pesquise o melhor imóvel com paciência: A instabilidade do setor imobiliário, motivada pela fase econômica do país, tem garantido muitas ofertas. Por isso, não tenha pressa para escolher o imóvel que melhor se adapta à sua rotina. Uma pesquisa mais ampla também possibilita melhor capacidade de barganha no valor do aluguel.

Identifique a sua condição financeira: Antes de assinar o contrato, faça as contas. Veja se o valor do aluguel do imóvel escolhido, somado ao IPTU e ao condomínio – no caso de apartamentos –, não ultrapassam 30% do rendimento familiar. É importante manter uma sobra no orçamento para as despesas com vestuário, alimentação, transporte e lazer.

 Atente-se à documentação: Para alugar um imóvel, o locatário precisa ser maior de idade – ter 18 anos ou mais – e deve apresentar na imobiliária o RG, o CPF e comprovantes de residência e de renda. No caso do funcionário público e do trabalhador com carteira assinada, a comprovação de renda pode ser feita por meio do demonstrativo de pagamento. Aos profissionais liberais ou autônomos geralmente pede-se uma cópia do último imposto de renda ou do extrato bancário.

Escolha o imóvel que apresente a melhor garantia: Em toda a locação, o proprietário do imóvel pode exigir apenas uma forma de garantia. Dentre as mais usuais no mercado, estão: o uso de fiador – que tem custo zero ao locatário, o depósito caução e o seguro fiança.

O fiador escolhido tem de ser maior de 18 anos, não pode ter restrição cadastral (nome sujo), deve possuir renda, no mínimo, três vezes maior que o valor do aluguel e ser proprietário de algum imóvel. A maioria das imobiliária ainda exige que fiador tenha um imóvel localizado na mesma cidade da residência a ser alugada, mesmo sendo uma prática que não consta na Lei do Inquilinato (Lei nº 8.245). 

No depósito caução o locatário deve depositar na conta do proprietário um valor equivalente a três meses de aluguel. No fim da locação, deixando o imóvel em ordem, ele recebe tudo com correção monetária.  Já o seguro fiança é feito diretamente com uma seguradora. Neste caso, paga-se, por ano, um valor não reembolsado que pode variar entre um e dois alugueis. 

Faça a vistoria antes de pegar as chaves: A vistoria visual, que identifica os defeitos a olho nu, deve ser feita antes da entrega das chaves. Mas, fique sempre atento: alguns contratos tendem a ser muito genéricos, alegando que todo o imóvel encontra-se em perfeitas condições. Aconselha-se, portanto, fazer a vistoria com uso de fotos e vídeos, identificando todos os furos na parede, riscos nos pisos e até problemas em fechaduras, portas e janelas. Lembre-se de guardar todo o material até a devolução do imóvel.

Deteriorações causadas devido ao mau uso são de responsabilidade do locatário. Já os chamados vícios redibitórios – aqueles problemas ocultos que já existiam no imóvel antes da entrega das chaves – devem ser corrigidos pelo próprio locador.  Os problemas ocultos, como os na rede hidráulica ou elétrica, são sempre identificados com o uso continuo e devem ser alertados até o tempo máximo previsto em contrato, que varia de locação para locação.

Leia bem o contrato: O contrato deve refletir toda a negociação entre locador e locatário, incluindo o tempo de permanência no imóvel e o laudo da vistoria de entrada.  Durante o prazo estipulado para a duração do contrato, o proprietário não poderá reaver o imóvel alugado. Já o locatário poderá devolvê-lo pagando multa proporcional ao período de cumprimento do contrato. No entanto, costuma-se pedir uma quantia referente a três meses de aluguel. Vale, portanto, negociar com o locador um tempo mínimo de permanência, para ser liberado da multa após determinado período. 

Locador e locatário devem assinar e reconhecer firma no contrato. No caso de apartamentos, o inquilino recebe uma carta da imobiliária autorizando a mudança. Esta, por outro lado, deve seguir as regras internas do condomínio.

Fique de olho nos reajustes e cobranças: Por lei, o aluguel só pode sofrer reajuste anual, a fim de corrigir a inflação da moeda. Caso o aluguel esteja defasado, o locador, ou mesmo o próprio locatário, pode pedir a revisão a cada três anos. Neste caso, o ideal é que as partes cheguem a um consenso.

No caso de apartamentos, atente-se ao valor do condomínio. É proibido repassar ao locatário as despesas de condomínio extraordinárias, ou seja, as que estão relacionadas à construção de benfeitorias no edifício, tais como a ampliação da garagem, piscina ou área de lazer. O inquilino só é obrigado a arcar com as despesas relacionadas à conservação, como pintura e manutenção dos elevadores.

Enfim estamos passando pelo fase burocrática e logo teremos novidades, eu fico pensando nessa mudança e logo me vem a cabeça Ana Luiza dizendo que quer ter 4 cachorros e uma bicicleta, peço a Deus para que dê tudo certo e que seja a decisão correta afinal tudo que fazemos é por causa dos filhos.

Mas.... eu pretendo falar sobre tudo aqui: a casa, a mudança, o stresss....

Imagem: Pixabay
Referência para este post aqui

0 comentários :

Postar um comentário

A vida é um eco!
Se você não está gostando do que está recebendo, observe o que está emitindo...

Obrigada pela visita deixe seu link para que eu possa retribuir!
Comentários sempre são bem vindos!
Se gostou do post, por favor, clique e compartilhe.

 

Layout: Minima blogger | Personalizado por: ✿ blog Vanessa Freitas
Copyright © 2014/2017 - É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.