Nossa história com a chupeta

16 de abr de 2015
Oi pessoal, bom sei que esse é um assunto bastante polêmico e eu corro de polêmica. Só quero contar como é aqui em casa quem sabe alguém se identifica não é mesmo.Eu nunca tive problemas com o assunto chupeta, pra mim é uma coisa normal como qualquer outra que o bebê usa apenas temos que tomar cuidado com o tempo de uso, eu considero como a fralda pois um dia você precisa tirar a fralda não tem? A chupeta é igual.

Vou contar como foi e tem disso com meus dois filhos:

Ana Luiza e a chupeta - A primeira coisa que inclui na lista de farmácia quando estava grávida da Ana Luzia foi uma chupeta e levei pra maternidade mas ela nem quis saber, em casa eu tentava dar com o remédio de cólica ela se acalmava e depois jogava longe. Eu desisti e acabei jogando fora a chupeta, quando ela tinha 5 ou 6 meses fomos passar o final de semana na casa da vovó porque o papai viajou a trabalho e no primeiro dia fui ao mercado e lá estava um mostruário cheio de chupetas de diversos formatos e tamanhos e não deu outra eu levei uma.
Ana Luiza pegou logo e nunca mais largou até os dois anos e meio. Nossa história com a chupeta Neste período eu fui muito criticada quase apedrejada e crucificada na cruz das mães, mas eu só tirei quando vi que ela estava pronta. Eu considero que a criança está pronta pra largar a chupeta quando não lembra dela algumas vezes no dia e a noite não tem escândalo quando a danada some no berço, Eu pesquisei muito e descobri várias maneiras para fazer isso, mas um conselho que eu dou as mães é não escute conselhos sem noção como passar pimenta, lama, furar a chupeta, isso tudo é maldade coisa de gente antiga e sem amor ao próximo, sério como alguém tem coragem de passar pimenta numa chupeta e dar para um bebê?

Comigo a coisa foi meio Supernanny sabe, nós decidimos juntos eu e o pai e eu coloquei o plano em prática: no primeiro dia eu disse a ela que não tinha mais bibi e que ela tinha que dormir sem ,pois já era uma mocinha e não precisava mais daquilo, ela virou pro lado e dormiu, no segundo dia ela teve uma crise de choro por algum motivo e eu fraquejei e dei a chupeta, no terceiro dia criei coragem e comecei de novo disse que não tinha mais bibi ela repetiu a frase e dormiu, no quarto dia ela repetiu de novo e dormiu a noite toda, no quinto dia idem, no sexto dia nem se lembrou mais da chupeta.

Arthur e a chupeta Com Arthur eu fiz a mesma coisa comprei na lista de farmácia mas ao contrário da Ana Luiza ele pegou de primeira na maternidade, no dia da alta o pediatra disse que não tinha nada contra e que poderia usar sem problema nenhum.Arthur ainda usa hoje com 1 aninho para dormir e algumas vezes durante o dia, acho que acalma ele mas não é aquele acalmar só pra mãe não ouvir o choro que é o que todo mundo acha, ele se acalma mesmo. Com ele acho que com dois anos podemos fazer o mesmo processo. Nossa história com a chupeta
Leia também: Mordida Aberta, retirando a chupeta do Arthur
Minha opinião: o que é melhor para o seu filho, acho que existem muitos fantasmas que as pessoas criam para criticar as outras mães. Hoje existe uma competição de maternidade perfeita e o que puderem usar para desqualificar a forma como a pessoa materna usam sem pudor nenhum. Eu sempre estive segura sobre o que ofereço aos meus filhos e acho que isso fará com que confiem em mim não só agora quando pequenos mas no futuro também. Então esse é o meu conselho, confie em si mesma porque se você estiver errada seu coração lhe dirá.
Me encontre no Pinterest



Um comentário

  1. Acho que vou tentar desse modo para ver se dar certo, já tentei o furo no bico da chupeta mas não deu muito certo não.

    ResponderExcluir

A vida é um eco!
Se você não está gostando do que está recebendo, observe o que está emitindo...

Obrigada pela visita deixe seu link para que eu possa retribuir!
Comentários sempre são bem vindos!
Se gostou do post, por favor, clique e compartilhe.