Carne Bovina: Tipos de cortes de carne e modo de preparos

Postado por:
VANESSA FREITAS
Em: segunda-feira, maio 22, 2017 | 0 Comments
| 0

Antes de casar eu só sabia que carne bovina podia ser comprada em forma de bife, moída e a costela. Nunca procurei ou me interessei em saber sobre os cortes de carnes e como poderia preparar, isso porque carne pra mim era cozida, churrasco ou  frita,😁

Hoje antes de comprar qualquer tipo de carne eu preciso saber antes como vou preparar e se você como eu as vezes fica perdida com os nomes dos cortes de carne vai gostar dessa lista com cortes e maneiras de preparo para cada um.

Primeiramente precisamos nos lembrar que existem variedades de carne como: carne de Primeira e de Segunda, a diferença está principalmente na quantidade de gordura e de nervo. As partes do boi que são mais usadas, como a costela, são mais duras e possuem maior concentração de gordura e também de nervo.

Carne de primeira

A carne de primeira localiza-se em partes menos usadas do boi e são mais macias, próprias para fazer bifes de dar água na boca. Além disso, são recomendadas para fazer carne assada e churrasco. Exemplos: Alcatra,Picanha,Filé mignon,Patinho,Lagarto,Contrafilé,Coxão mole,Maminha,Baby beef.

Carne de segunda

Localizada em partes mais expostas do boi e de maior uso, essas carnes são ideais para preparar ensopados, molhos para acompanhamentos, guisados, tortas e escondidinhos. Exemplos: Acém, Paleta, Fraldinha,Costela,Capa de filé,Coxão duro,Chuleta,Músculo dianteiro.

Existe ainda as chamadas carnes de terceira que possuem uma camada extra do tecido conjuntivo do boi, tem gordura em uma quantidade maior e os nervos encontram-se mais presentes.Essas carnes não costumam ser utilizadas em receitas, mas algumas partes como o pescoço, podem ser usadas para fazer feijoada, exemplos: Músculo,Pescoço,Ponta de agulha.

Tipos de cortes de carne e modo de preparos

Músculo dianteiro: um dos cortes mais saudáveis do boi, é uma carne fibrosa, saborosa, pobre em gordura, mas rica em colágeno. Seu cozimento pede bastante calor e umidade, sendo indicado para sopas, caldos de carne e carne de panela.

Peito: possui uma gordura superficial que impede o ressecamento da carne durante o longo tempo de cozimento exigido. Pode ser usado em caldos, sopas, refogados e cozidos em molho.

Pescoço: sendo a continuação do peito, é uma carne semelhante, que pode ser usada nos mesmos preparos. É um corte que requer cozimento longo e é indicado para ensopados, cozidos e caldos.

Acém: é o maior e mais macio dos cortes dianteiros do boi. É uma carne relativamente magra, que requer bastante calor e umidade durante o cozimento e fica boa em ensopados, cozidos de panela e picadinhos.

Cupim: situada no dorso de bois zebuínos originários da Índia, essa carne é fartamente entremeada de gordura e tem sabor único e acentuado. É um corte praticamente desconhecido nos países da Europa, nos Estados Unidos e nos vizinhos Uruguai e Argentina, onde se criam apenas raças europeias. Pede cozimento lento, preferencialmente enrolado em celofane culinário, para que se mantenham os sucos da carne.

Paleta: da pata dianteira do boi, retiram-se três cortes, o peixinho, a raquete e o miolo de paleta. Menos nobres, são carnes suculentas e saborosas, mas que pedem cozimento lento e longo. São cortes indicados para o preparo de picadinhos e cozidos de panela.

Capa de filé: é uma carne saborosa e com médio grau de dureza. Com grande quantidade de nervos e espessa camada de gordura, exige bastante tempo de cozimento. Indicada para ser usada moída, em ensopados e picadinhos.

Filé de costela: também conhecida como costela de ripa ou apenas costela, é a carne que reveste a parte superior da caixa torácica do boi. Com ossos maiores e mais largos, é um corte saboroso que requer longo cozimento, seja no fogão ou na churrasqueira.

Aba do filé: também conhecida como bife do vazio. Por ser uma carne extremamente enervada, é própria para ser preparada moída.

Ponta de agulha: também conhecida como costela de minga, é a carne que reveste as últimas costelas do boi e pertence à categoria dos cortes com mais colágeno. É melhor aproveitada moída ou na churrasqueira.

Costela:A costela é o corte com maior variedade de sabores, texturas e aromas, dada a característica de suas longas fibras, que exigem um tempo maior de preparo do que a maioria dos cortes tradicionais. É uma carne um pouco mais seca do que a costela ponta de agulha ou costela minga.
É utilizada principalmente para churrasco ou para o preparo de carne cozida com legumes.

Contrafilé: também conhecido como entrecôte e bife chorizo, é uma peça grande de onde se origina a bisteca. É ideal para fazer bifes, medalhões e rosbife, podendo ser grelhado no fogão ou na churrasqueira, em alta temperatura e por pouco tempo. Deve ser servido mal passado ou ao ponto.

Filé mignon: é o mais macio dos cortes bovinos e tem sabor menos acentuado que seus “vizinhos” alcatra e contrafilé. A peça é um músculo liso e comprido, sem nervos, fibras ou gorduras. Ideal para bifes altos como o tournedor e o medalhão, também pode ser empregado em rosbifes, picadinhos, estrogonofe, assados e refogados.

Fraldinha: localizada na lateral do boi, é uma peça pequena, porém muito suculenta e macia, apropriada para a churrasqueira, mas também para cozidos de panela, estrogonofe e espetinhos.

Maminha: corte retirado da alcatra, famoso pela maciez, suculência e sabor suave. É uma carne indicada para assados na churrasqueira e no fogão e cozidos de panela.

Alcatra: junto com filé mignon, o contrafilé e a picanha, essa carne faz parte do quarteto nobre das carnes bovinas. É um corte magro e saboroso, do qual se originam outros cinco cortes: a picanha, a maminha, o miolo de alcatra ou baby beef, o tender steak e o top sirloin.

Miúdos do boi: denominação dada aos seguintes cortes: fígado (o mais popularizado), língua, rim, coração, bucho e pulmão. Podem ser para cozidos, ensopados, fritos ou assados.

Picanha: criado na década de 1970, é um corte caracterizado pelo sabor acentuado e maciez, garantidos pela camada de gordura externa que o reveste. Famosa no churrasco, também se presta ao preparo de cozidos e assados no forno e na panela.

Patinho: carne magra, com fibras macias, ideal para bife a milanesa, escalopes e carne moída, mas pode ser usada também em cozidos, ensopados e picadinhos.

Coxão mole: como o próprio nome diz, faz parte da coxa do boi. Também conhecido como chã de dentro, é o corte constituído das massas musculares da face interna do coxão, separado do patinho, do lagarto e do coxão-duro. Macio, é ideal para assados, ensopados, picadinhos, escalopes, bife a milanesa ou para carne moída.

Lagarto: localizada na parte traseira do boi, é a peça que separa o coxão duro do coxão mole. Com fibras longas e duras e gordura externa, é uma carne saborosa e versátil, mas pouco suculenta, ideal para assados e cozidos, preferencialmente com molho.

Coxão duro: também conhecido como chã de fora, pois fica na face externa do coxão, é um corte com fibras mais duras e necessita de cozimento mais longo. Apropriado para o preparo de carnes recheadas, cozidos de panela e rosbife, ou moído em refogados e molhos.

Rabo: Formado por vários ossos, cobertos de carne e gordura. Varia de tamanho conforme a idade do boi e tem um elevado teor de gordura. Rende ótimos ensopados e cozidos.

Músculo traseiro: é dessa peça que se extrai o ossobuco, famoso corte redondo, com osso e tutano, que deve ser cozido lenta e longamente.

Diferenças entre os preparos:

Grelhar: Grelhar é um método de cozimento por calor seco. “Grelhar” significa assar ou tostar a carne em cima de uma grelha. É uma forma de preparo adequada para cortes magros e macios. Para grelhar a carne, não deixe de preaquecer a grelha. Recomenda-se grelhar bifes com pelo menos 2 cm de altura, pois bifes muito finos podem ficar secos e passar do ponto rapidamente. Pedaços mais grossos podem ser grelhados em temperatura menor do que a utilizada para os mais finos, pois os bifes grossos necessitam de maior tempo de cozimento da parte interna e é preciso evitar que a sua superfície fique torrada demais.

Assar: é um método de preparo por calor seco. Significa preparar a carne dentro do forno em uma travessa ou em uma panela sem tampa, permitindo que o calor seco circule livremente até que o alimento esteja cozido e que a sua parte externa esteja dourada. É o procedimento indicado para cortes de carne grandes (mais de 1,5 kg), mais macios e com um pouco de gordura (que garante a sua maciez).

Refogar: é um método de preparo de carne por calor seco, adequado para carnes macias e com pouca gordura. Refogar significa cozinhar ou dourar a carne rapidamente em uma pequena quantidade de óleo em uma frigideira ou panela. Podem-se refogar cortes como contrafilé, filé mignon, alcatra, fraldinha, coxão mole e hambúrguer.

Fritar: é um método de preparo por calor úmido. Significa cozinhar a carne em óleo ou gordura quente, geralmente em uma frigideira.
Prefira frigideiras de fundo grosso, de alumínio ou de ferro fundido. Evite virar muito a carne na panela e, se usar um garfo para virar os bifes, procure espetar apenas o cantinho para evitar que a carne perca o suco. Podem-se fritar cortes como bifes finos, hambúrguer de carne moída ou bifes de filé mignon, de coxão mole, de patinho, de fraldinha e de contra-filé.

Cozinhar: carnes cozidas são carnes preparadas em calor úmido, ou seja, com água por um período longo. O procedimento é indicado para cortes menos macios, que, normalmente, são mais baratos. Os cozidos e ensopados são excelentes formas de preparo, que acentuam o sabor das carnes, especialmente quando se utiliza um líquido bem temperado (como água e ervas, temperos etc.). O cozimento em panela de pressão torna a carne mais macia e saborosa, além de reduzir o tempo de cocção.

Gostou do post, por favor deixe nos comentários alguma sugestão de preparo que você gosta e usa. Espero ter ajudado.😘

Sites de referências para este post:
https://comidasebebidas.uol.com.br
http://www.pantuccifoodtruck.com.br/
http://www.friboi.com.br/produtos/categorias/
Foto: Pixabay

Como organizar o Chá de Bebê

Postado por:
VANESSA FREITAS
Em: sábado, maio 20, 2017 | 0 Comments
| 0

O chá de bebê é um momento único e provavelmente o mais especial na vida de qualquer mulher, é essencial  planejar algo tão marcante e inesquecível na vida de uma família.

Convites 

Depois de definida a lista de convidados, é hora de informar às pessoas sobre a sua festa. E o melhor é fazer isso com, pelo menos, um mês de antecedência, para que todos tenham tempo de se planejar.

Lista de presentes 

Os mimos para o bebê são bem-vindos, mas deve-se evitar vincular a presença dos convidados à obrigatoriedade da entrega de um presente. Assim, para não parecer indelicada, a recomendação das especialistas é não informar no convite o que se deseja ganhar nem a existência de uma lista em loja especializada.
  • - Algodão de bolinhas
  • - Babador
  • - Calça com pé de malha
  • - Calça sem pé de malha
  • - Camisa pagão de malha
  • - Chupeta ortodôntica
  • - Cobertor
  • - Colcha de piquê
  • - Cortador de unha
  • - Cotonetes
  • - Escova de cabelo para bebê
  • - Fraldas de pano
  • - Fraldas descartáveis
  • - Gorrinho de lã
  • - Lençol de berço c/ fronha
  • - Lençol avulso
  • - Lenços umedecidos
  • - Lixeirinha
  • - Macacão banho de sol, de malha
  • - Macacão manga comprida
  • - Macacão manga curta
  • - Mamadeiras
  • - Manta de linha
  • - Manta de lã
  • - Meias
  • - Mordedor de borracha
  • - Óleo para bebês
  • - Pente
  • - Pomada para assaduras
  • - Pratinho para papinha
  • - Sabonete
  • - Saboneteira
  • - Sapatinho de lã
  • - Termômetro para água
  • - Termômetro comum
  • - Toalha de banho com capuz
  • - Toalha de fralda
  • - Travesseiro anti-sufocante
  • - Xampus

Decoração 

 A ambientação é importante, mas não é preciso pensar em nada tão elaborado se você não quiser. O acréscimo de alguns detalhes é o suficiente para criar uma atmosfera delicada e infantil. Vale usar fotos na decoração, balões, criar um mural com retratos das convidadas ainda crianças ou mesmo improvisar um varal com as roupas do bebê.

Entretenimento 

Os chás com brincadeiras em que a mãe é pintada, descabelada e fantasiada estão completamente fora de moda. Passar horas adivinhando o presente que ganhou, além de ser cansativo para a anfitriã, também pode entediar os convidados.
Para divertir todo mundo, sem expor ninguém a constrangimentos, vale a pena confeccionar, em moldes de papel, roupinhas infantis ou acessórios como babadores e mamadeiras. Depois, prenda em um palito de madeira e convide as visitas para uma foto especial, "utilizando" esses aparatos. A brincadeira rende uma divertida lembrança do encontro.

Comes e bebes  

Servir comidinhas práticas, que dispensam o uso de talheres ou pratos, é uma boa alternativa. Podem compor o cardápio bolos, lanches, salgados, torradas, tortas, pães variados, geleias, patês, bruschetas e queijos. Se a mãe fizer questão de incluir um prato principal, como um risoto ou uma massa, além de um coquetel de aperitivos, a conta muda. Nesse caso, devem ser calculados dez salgados por pessoa.Para os doces, a conta é de seis a oito unidades por convidado. Já para as bebidas, reserve 400 ml de refrigerante por pessoa, 200 ml de água e uma garrafa de bebida alcoólica para cada quatro convidados.
Chá de Bebê, como organizar

Lembracinhas 

Investir em uma recordação do evento, para ser entregue aos convidados, é uma maneira de agradecê-los por compartilharem esse momento especial com você.


3 calçados por 99

Mala de maternidade: compre somente o que você realmente irá usar

Postado por:
VANESSA FREITAS
Em: sexta-feira, maio 19, 2017 | 0 Comments
| 0

Duas coisas diferem as malas de maternidade que levei nos meus dois partos: no primeiro eu era mãe de primeira viagem e na segunda já manjava dos paranauê da vida materna(ou quase kkk).

Na gravidez da Ana Luiza eu passava horas e horas lendo esses foruns de gestantes e mães e acreditava em tudo que via por lá, cheguei ao ponto de levar pra maternidade 3 bolsas para Ana Luiza mais a minha.

O que eu levei:

-6 kits de roupinhas com macacão, meia,luva,pagão,fraldinha de boca e flanela.
-4 macacões avulsos
-Saida de maternidade
-3 mantas
-Uma bolsinha cheia de paninhos de boa(oi?)
-Cobertor
-6 toalhas fralda
-Lembrancinhas
-Bolsinha com shampoo, colônia, sabonete, cotonete,pomada.
-1 pacote de fraldas tam.P
-Documentos

E voltei para casa com:

-2 kits de roupinha limpas e intactas
-4 macacões limpos
-1 manta limpa
-1 bolsinha de paninhos de boca limpos
-Cobertor limpo
-2 toalhas fralda limpas
-Shampoo,cotonetes e colônia intactos
Sabe porque levei tudo isso e voltei boa parte sem usar? Simples, mãe de primeira viagem é bicho que se deixa levar por tudo que o povo fala, "ah mas se fulano disse que precisa é porque precisa, então vamos levar..."

Já na gravidez do Arthur eu fui mais prática tive muito tempo para planejar e raciocinar o que precisaria, levei em conta  coisas: o clima(mês de abril, ás vezes chove mas faz um calor do cão aqui em Goiás), o tempo que ficaria na maternidade e praticidade.

O que levei:

-4 kits com meia, fralda,body,toalha fralda e flanela.Usamos todos
-1 manta caso esfriasse muito. Usei para forrar o bercinho
-2 macacões avulsos. Usamos 1 no primeiro dia com a primeira roupinha e o outro na noite do segundo dia porque estava calor e ele tomou banho ás 01:00 da manhã
-2 paninhos de boca. Usamos os dois
-2 luvas. Usamos as duas
-Saida de maternidade. Usamos na manhã da alta.
-Sabonete. Único item de higiene que as enfermeiras pediram.
-Documentos
-Não levei lembrancinhas porque as únicas pessoas que me visitaram eram da minha familia e já estava programado para se reunirem na minha casa para conhecerem o bebê e só ai eu entreguei as lembrancinhas.

Estas foram só as coisinhas dele, a minha mala eu só coloquei aquilo que realmente iria usar: camisola,absorvente,toalha,calcinhas,artigos de higiene, etc. O que quero dizer com isso é que com o tempo aprendemos a ser mais práticas e não carregar um monte de tralhas sem necessidade, dá para ser prevenida mas sem sofrer.

3 calçados por 99
 

Layout: Minima blogger | Personalizado por: ✿ blog Vanessa Freitas
Copyright © 2014/2017 - É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.